Os 5 ensaios mais inspiradores e ousados de Hugo, o modelo dos 100 nudes (NSFW)

Ele se apresenta assim, Hugo, apenas com seu primeiro nome e criou o projeto fotográfico 100 NUDE Shoots (of Hugo) lançado em 2016 no qual ele é fotografado por nada menos que 100 fotógrafos, cada um com seus próprios conceitos, visões e interpretações artísticas da nudez. Até agora foram 27 ensaios publicados. O intuito é de unir visões e conceitos contemporâneos diferentes sobre a nudez e assim ajudar a distinguir o corpo humano de como ele é retratado em suas diferentes apresentações.

Convidamos o próprio Hugo para escolher os 5 mais inspiradores (sim, temos os links e você pode ver tudo sem nenhuma censura):

 

#27 – RONY HERNANDES

 

Feito 1 ano antes de sua publicação, o tema do trabalho do Rony Hernandes é “Florescer”. Florescer, na minha visão, é quando abrimos espaço para que nossos anseios reprimidos cresçam e comecem a fluir, transparecer, guiar nossa direção, nossas ações e nossas relações. É um processo sem volta. Eu vivo essa experiência desde que abandonei uma carreira “promissora” na administração e passei a me dedicar integralmente a meus próprios objetivos e projetos pessoais e artísticos.

 

#17 – LENISE PINHEIRO

 

O maior desafio que já tive no projeto foi produzir esse ensaio-homenagem-performance com mais de 50 pessoas envolvidas, celebrando a diva transsexual cubana Phedra de Córdoba, falecida ano passado. Phedra não tinha a menor vergonha de seu corpo, que, mesmo velho e transfigurado, carregava com orgulho a sua história. Foi um grande improviso coletivo estimulado pelas imagens, histórias e músicas da Phedra, tudo registrado pela grande fotógrafa do teatro brasileiro Lenise Pinheiro.

 

#25 – SAM DEVRIES

 

Um dos assuntos recorrentes que circundam o projeto 100 NUDE Shoots é a dessexualização da nudez. Mas eu considero esse ensaio um marco porque nele eu resolvi propor o inverso: discutir o tabu em torno do sexo em si. Na minha opinião, a nudez só é tabu porque o sexo é tabu em primeiro lugar. Eu acredito que se o sexo também fosse naturalizado, não censurado, não haveria mais culpa nem humilhação sexual. Não haveria mais assédio, estupro, pedofilia, exploração. Vamos censurar a violência, a discriminação, a humilhação, a xenofobia, o machismo, não o sexo, que deveria ser algo tão positivo.

 

#9 – JOÃO HANNUCH

 

O ensaio é icônico pra mim porque até hoje ele é apontado por muita gente que vê o projeto pela primeira vez como o mais expressivo de todos. Fui fotografado pelo meu amigo, o ator, diretor e fotógrafo João Hannuch, em uma sessão fotográfica noir, proposta por ele, onde exploramos emoções e sensações fortes. Ele me instigou a deixar fluir sentimentos de tristeza, angústia, desespero, reforçados por estímulos sensoriais como calor, frio.

 

#2 – VITOR BARÃO – PROJETO AMOR(A)

 

Minha segunda vez posando nu foi junto com o namorado, Rodolfo Brunhari, e essa sessão é até hoje também uma das mais eróticas que eu já fiz, apesar de as imagens não serem tão “explícitas”. AMOR(A) é um projeto de fotografia baseado na observação das nuances da intimidade de casais, e as fotografias são tomadas em ambiente íntimo, em um processo mútuo de descoberta entre fotógrafo e fotografados, entre mostrar e ver. O Vitor Barão registrou com uma sensibilidade inacreditável nossos momentos reais de carícia e de sexo.