Alienígenas Não Construíram as Pirâmides, Seu Tolo Racista!

This post is also available in: Inglês Espanhol Alemão

Como uma pessoa interessada na língua e cultura Suméria, eu tenho um desgosto em especial pela “Hipótese dos Alienígenas do Passado”. Caso você não tenha visto um dos muitos documentários do History Channel indiferentes à realidade, a Hipótese dos Alienígenas do Passado afirma que um bando de alienígenas inteligentes visitou a Terra muito tempo atrás, construíram algumas coisas, e foram embora sem nenhuma razão. Supostas evidências para essa teoria incluem a arte do Paleolítico, desenhos dos Hopis, as Linhas de Nasca, as pirâmides em Gizé, Machu Picchu, os Moai, os zigurates da Antiga Suméria e algumas outras das maravilhas antigas do mundo. Vou dar aos meus amigos o benefício da dúvida e supor que a maioria das pessoas não se inscrevem à crença, mas ficam felizes o suficiente em tratar isso como um pedacinho de entretenimento. Eu não consigo. Curiosamente, alienígenas do passado geralmente não recebem crédito pelo Partenon, o Colosso de Rodes, o Farol de Alexandria, o Palácio de Versalhes ou a Catedral de Notre-Dame, todos os quais foram construídos por Europeus brancos, mas, então, isso é provavelmente só uma coincidência.aliens pyramids   aliens ziggurats aliens stonehenge aliens parthenonUm dos maiores nomes no campo do estudo de Alienígenas do Passado é Zecharia Sitchin. Outro dos grandes nomes é Giorgio A. Tsoukalos, quem você já deve conhecer como o cara dos memes ALIENS.

ALIENS guy

Sitchin colocou que os deuses Sumérios eram, na verdade, uma raça alienígena chamada de Annunaki, que a mitologia Suméria não é o folclore cheio de metáforas de uma cultura deserta, mas um fato literal de visitação alienígena, que o sistema solar tem um décimo-segundo planeta chamado Nibiru, que os Annunaki criaram os humanos com engenharia genética para trabalharem como escravos, e que os Annunaki se explodiram durante uma guerra nuclear. Eu nunca conheci Zecharia Sitchin, mas ele e eu temos histórico. Sempre que eu mencionava meu interesse na Suméria, algum idiota levantaria essas teorias ridículas e tentaria me convencer de que ele estava certo. Eu sofri em muitas, muitas discussões sobre os Annunaki. Sempre que eu pesquiso algo sobre a antiga Suméria no Google, eu tenho que filtrar página por página de lixo do Zecharia Sitchin. Uma vez ganhei de presente um livro do Zecharia Sitchin (acredito que tenha sido O Décimo-segundo Planeta). A única coisa que eu me lembro nele é que Sitchin se referiu à primeira civilização do mundo de uma forma completamente errada que apenas pessoas extremamente equivocadas fazem. É como se referir à Roma antiga como România. Eu tenho imensa admiração pelos antigos sumérios e imenso desgosto por ignorantes mentirosos que estão convictos de que estão certos, então ao longo da minha vida meu desgosto por Zecharia Sitchin foi comprimido em um pequeno diamante reluzente de ódio. Portanto, esse artigo terá muito mais profanidade do que é típico numa discussão sobre Sumerologia. Deixe-me te dizer a que ponto em cheguei de ódio por Zecharia Sitchin. Ódio. ÓDIO. Eu levaria tempo demais para explicar tudo que há de errado com as crenças de Sitchin, mas aqui estão apenas alguns tópicos de seus crimes contra a Sumerologia.

  • Sitchin atribui um nome a cada corpo celeste em nosso sistema solar. Conforme mencionado antes, o misterioso Décimo-segundo Planeta é chamado de Nibiru. O sol é chamado de abzu. O problema com isso? Abzu se refere a um abismo de água mítico. O sol é… literalmente o oposto disso. Na verdade, os sumérios já tinham um nome para o sol (OBVIAMENTE), que era ud.
sun
Não ilustrado: água
  • Falando de Nibiru: Nibiru não era um planeta. Era uma cidade. Nem mesmo uma cidade lendária. Tipo, literalmente uma cidade. Geralmente se referem a ela como Nippur atualmente. Nós sabemos onde ela estava geograficamente.
nippur on a map
Um mapa com a localização de Nippur
  • Aqui está uma foto do que ela se parece agora, depois de algumas reformas.
nippur ruins
Não ilustrado: um planeta inteiro
  • O modelo questionável do sistema solar de Sitchin foi baseado nas ilustrações sumérias, como essa da foto abaixo.
ZECHARIA_SITCHIN with tablet
Zecharia Sitchin com o que jamais deveria ser usado como uma carta celeste
  • Entretanto, a imagem que Sitchin está segurando é uma impressão aumentada de um selo cilíndrico, um objeto menor do que um dedo mínimo humano. Selos cilíndricos tinham uma função similar aos anéis de sinete: eles eram usados para criar uma impressão numa placa de argila como um tipo de assinatura. Selos cilíndricos geralmente incluíam uma breve inscrição (como o nome do dono) e um pequeno desenho ou imagem. Não faria sentido nenhum incluir um mapa detalhado em um selo cilíndrico minúsculo tido por algum nobre. Olhar para um selo cilíndrico procurando um modelo preciso do universo é como olhar para a tatuagem de alguém procurando um carta astronômica precisa.
star tattoo2
Aparentemente nosso universo tem quatro estrelas. E um piercing de umbigo.
  • Além disso, os sumérios já tinham cartas celestes e placas astronômicas, nenhuma das quais mencionam um décimo-segundo planeta. Ele não acreditavam em um décimo-segundo planeta. Na verdade, ele não sabiam que o sistema solar tinha mais do que cinco planetas.
  • Sitchin afirma que alienígenas foram responsáveis pela construção de boa parte da antiga Suméria. Entretanto, sabemos que os sumérios construíram essas coisas, porque eles mesmos disseram. Os antigos sumérios não eram modestos. Quando construíam algo, eles faziam inscrições por todo lugar: “GUDEA CONSTRUIU ESSE TEMPLO” “SHULGI DEDICOU ESSA FUNDAÇÃO” “UR-NAMMU FEZ ESSE TIJOLO”.Eles gastavam muito tempo e dinheiro nessa merda e queriam reconhecimento por isso. Como você ousa a dar os créditos a um bando de lagartos do espaço?!
  • Zecharia Sitchin se gabou de que ele era um dos poucos estudiosos que conseguiam ler placa da antiga Suméria. Isso não é nem remotamente verdade, por algumas razões: 1) ele subestima o número de nerds que há nesse mundo e 2) Zecharia Sitchin não conseguia ler sumério de verdade. Seu trabalho mostra um entendimento risível de gramática e vocabulário sumério. Para explicar exatamente como essas leituras estão erradas levaria muito tempo, e seria entediante aqui, mas basicamente o que Zecharia Sitchin faz é olhar para um caractere cuneiforme, escolher um homófono aleatório de sua própria leitura, e então simplesmente desistir e decidir que a palavra de alguma forma significa nave especial.
  • gay blog, queer, lgbt, sumerian, cuneiform
    Não é um traje especial

    Sério, sempre que ele se depara com uma palavra que ele não conhece, ele balança os ombros e declara que significa nave espacial ou capacete, ou algo do tipo. Por exemplo, ele alega que a palavra me em Descendência de Inanna é algum tipo de traje espacial (porque ela o coloca antes de partir em uma longa jornada), mas, sinto muito, já está bem estabelecido o que me significa (um tipo de ordenação divina ou arte civilizada — na verdade, a palavra não fica muito bem traduzida diretamente) e esse também não é o caractere que você usaria para desenhar um traje espacial.

  • Você não pode simplesmente fazer isso, Zecharia Sitchin. Você não pode decidir aleatoriamente que uma palavra significa nave espacial. PALAVRAS TÊM SIGNIFICADO, ZECHARIA SITCHIN. Para que a civilização humana funcione, nós temos que concorda com o significado compartilhado da palavras até certo ponto. O trabalho de Zecharia Sitchin viola o contrato social e é uma tentativa covarde de desvendar os princípios da civilização humano em si. EI, ZECHARIA SITCHIN, E SE EU DECIDISSE QUE AS PALAVRAS “ZECHARIA SITCHIN” SIGNIFICASSEM ‘IDIOTA’; ESPERE AÍ, ELAS JÁ SIGNIFICAM ISSO.

Pode parecer ridículo gastar tanto raciocínio e adrenalina em um tópico tão ridículo, mas eu verdadeiramente acredito que a Hipótese dos Alienígenas do Passado é prejudicial à sociedade. Não é apenas incorreto, é imoral. Isso apaga as realizações de pessoas negras. Sugere que sul-americanos e pessoas do Oriente Médio não construíram (e nem conseguiriam construir) templos ou estabelecer civilizações por si próprios — ao invés disso, essas pessoas precisam ser regidas por uma raça superior. É supremacia branca numa máscara de alienígena. É uma discussão de que alienígenas de outros mundos são mais prováveis do que do que pessoas inteligentes com pigmentação na pele.