Arcebispo diz que 2017 foi horrível culpa casamento igualitário

Durante sua mensagem de fim de ano, Anthony Fisher, arcebispo de Sidney, na Austrália, afirmou que 2017 foi um ano horrível para o país e que a culpa é da aprovação do casamento igualitário no país. Fischer disse em seu discurso:

“Às pessoas de fé, afirmo que este foi um ano terrível. Nossas concepções cristãs de amor e vida foram desafiadas pelo casamento gay e discussões de aprovação da eutanásia na política. A liberdade religiosa na Austrália põe em cheque crimes terríveis cometidos contra nossa igreja”.

A declaração do cardeal católico repercutiu entre as lideranças LGBTs australianas que condenaram a fala do sacerdote. “É uma comparação absurda, mas não esperamos qualquer apoio do arcebispo. Mesmo assim, é triste que ele continue condenando as pessoas.”, disse Rodney Croome, ativista LGBT.

“De qualquer forma, ele está certo quando afirma que os jovens devem responder e corrigir todos os erros porque é justamente o que está acontecendo: a maioria esmagadora dos jovens votou a favor do casamento igualitário, inclusive os católicos”, completou.

Lembramos que quase 13 milhões de australianos (ou 79% da população) foram às urnas durante o plebiscito que aconteceu em novembro e determinou a aprovação do casamento homoafetivo no país. Mais de 60% se posicionou a favor da legalização em 2017 que não foi um ano politicamente positivo para o país e o arcebispo acredita que os gays são os culpados.