Disney pode nos presentear com a primeira princesa LGBT em 2018

Já esquecemos o tempo em que as princesas da Disney viviam em contos de fadas como frágeis princesas que aguardavam para serem salvas por príncipes, porque além de mudar a maneira com que a mulher é representada, não mais como a frágil mocinha submissa, a poderosa dona do entretenimento dá sinais de que está mais do que na hora de incluir a população LGBT em seus contos.

Ron Clements e John Musker, criadores de Moana, dizem que a próxima princesa da Disney pode entrar no território que a franquia nunca encontrou antes. Em 2018 a empresa planeja sua primeira produção protagonizada por uma princesa lésbica, disse Clements em uma entrevista ao Huffington Post: “as possibilidades são bastante abertas neste momento” para uma princesa LGBT.

A Aliança dos Gays e Lésbicas tem protestado contra a Disney por anos devido à falta de apoio e integração ao grupo nos seus últimos 10 filmes. Eles pedem que os filmes com diferentes modelos familiares sejam representados e que as diferentes orientações de gênero que existem no mundo sejam apresentadas.

A internet está cheia de especulações sobre a princesa Elsa se apaixonar por uma garota na continuação de umas das mais aclamadas animações, mas também pode ser uma nova princesa nunca antes vista, mas só saberemos no final de 2018 para saber mais detalhes ou uma declaração oficial de Thomas O. Staggs, diretor de operações da empresa.

O pensamento conservador da empresa tem mudado ao apresentar papéis que representam a diversidade cultural da sociedade moderna como em sua última série de animação, “Star contra as forças do mal” que foi a primeira a da Disney a incluir um beijo entre duas pessoas do mesmo sexo.

É bom entender que há uma clara distinção entre sexo e sexualidade. A maneira mais fácil de entender essa diferença pode ser através de desenhos como os da própria Disney nos quais nunca há sexo ou referências sexuais, mas há muitos relacionamentos. As narrativas da Disney são famosas por seus romances, no entanto ninguém jamais reclamou de atividades sexuais implícitas entre os personagens. Portanto se sua preocupação é se esse desenho com princesas lésbicas seria apropriado para crianças a respostas é SIM! E aguardamos ansiosamente mais essa maneira de poder ensinar a diversidade para crianças e fazê-las adultos melhores que a nossa geração.