Jornal asiático indica como ‘detectar’ uma pessoa gay

This post is also available in: Inglês Espanhol Francês Tailandês

Um jornal da Malásia, Sinar Harian, acaba de publicar uma lista de itens que serviriam para detectar se uma pessoa é homossexual. De acordo com a lista, gays podem ser identificados pelo seu fetiche por barbas, por frequentar academia -não para malharem mas para paquerar outros homens- e pelas marcas de suas roupas. Além disso, seus olhos se iluminariam quando vêem homens bonitos.

O The Guardian diz:

No caso das lésbicas as características seriam que elas costumam se abraçar e dar as mãos em público e falar mal de homens. 

Arwind Kumar, ativista LGBT malaio, postou vídeo no YouTube, rebatendo o jornal e tal lista. ” Há problemas muito mais importantes neste país que precisam ser abordados. Se você realmente deseja educar a sociedade, fale sobre pedófilos, agressores, assassinos, sequestradores, pessoas que realmente põem em perigo a vida dos outros. Porque um gay poderia por em perigo a vida de alguém? Conheço muitos sacerdotes, ustads [estudiosos islâmicos], pessoas religiosas que adoram suas barbas. Eles seriam homossexuais só por isso? Esse artigo é uma grande estupidez” afirmou Kumar.

LGBTs não têm direitos civis reconhecidos na Malásia e a homossexualidade ainda é considerada ilegal, punível com 20 anos de prisão. A ‘sodomia’ é considerada crime por uma lei da era colonial do Império Britânico.

O jornal inglês The Guardian criticou a publicação e lembrou que o vice-ministro do Interior da Malásia atacou a Disney no ano passado por ter se recusado a cortar uma cena com personagem gay no filme A Bela e a Fera a pedido do conselho de censura do país. E para completar a série de homofóbicas explícitas, o Ministério da Saúde malaio abriu inscrições para um concurso de vídeos sobre prevenção e consequências de ser gay, lésbica ou transgênero.