Mulher grávida cancela fotos ao descobrir que fotógrafa era lésbica

Alegando que não queria que a fotógrafa influenciasse seu filho, uma mulher que já tinha indagado anteriormente outra cliente da mesma fotógrafa Mary Grace, do Alabama, sobre ser lésbica, visitou suas redes sociais e viu em bandeira do orgulho gay postada em seu Instagram.

A fotógrafa levou às redes sociais o ocorrido para expressar sua decepção de ter sido recusado por um potencial cliente simplesmente por ser lésbica com o argumento de que poderia influenciar uma criança que ainda estava na barriga da mãe. Chocada, capturou as telas com as mensagens e postou-as no Twitter neste sábado, gerando mais de 38.000 compartilhamentos.

 

 

A primeira mensagem de texto diz: ‘Olá, Faith! Aqui é McKenna da noite passada. Eu estava falando com você sobre fotos de maternidade! Eu fui na sua conta Instagram pessoal para obter sua conta de negócios de fotografia e no seu bloco pessoal eu vi que você tinha uma bandeira do orgulho gay. Você é lésbica ou você tem uma família homossexual? Grace respondeu: “Ei, McKenna! Agradecemos seu contato. Ninguém na minha família é homossexual, mas eu sou – é isso que eu tenho na minha conta”.

A resposta que Grace recebeu foi: “Eu estou vendo, tudo bem, não se preocupe com as fotos então. Eu não quero alguém que seja gay para tirar minhas fotos. Não está certo. Eu sou contra isso e a última coisa que preciso é permitir que minha criança de 5 anos pense que ser gay é OK ou certo, porque eu não quero que eles sejam influenciados por pessoas como você. Desculpe-me por achar que este estilo de vida é inaceitável. Tome cuidado, fé.

Grace postou a conversa no Twitter com uma mensagem dizendo: “Uma senhora me mandou mensagens pedindo para tirar suas fotos de maternidade, mas aí ela decidiu encontrar outro fotógrafo porque eu sou gay. RT e compartilhem isso para mostrar às pessoas que o ódio e a discriminação ainda existem e PRECISA parar. Isso parte meu coração.

O tweet provocou tanta reação que Grace agora tornou sua conta no Twitter privada. Parece que o jogo de ataque e ódio virou.