Médicos Realizam O Primeiro Transplante de Pênis Com Sucesso

This post is also available in: Inglês Espanhol

 

Um sul-africano de 21 anos que perdeu todo seu pênis, exceto por um centímetro, em uma circuncisão adulta mal feita há três anos é a primeira pessoa a receber com sucesso um transplante de pênis completo. Agora ele pode fazer xixi, ficar duro, ter um orgasmo e gozar com seu membro recém-colocado — viva!

De acordo com a BBC e a Sky News, circuncisões adultas é um procedimento comum da vida adulta na África do Sul, com 250 amputações de pênis acontecendo por ano no país. A cada ano, de dúzias a centenas de garotos morrem quando essa cirurgia dá errado.

Outros médicos ao redor do mundo tentaram realizar transplantes de pênis anteriormente, mas os corpos dos pacientes rejeitaram os pênis como tecido estranho. Os médicos sul-africanos iniciaram um regime de drogas imunossupressoras no paciente muito antes da cirurgia para reduzir a probabilidade de rejeição.

A cirurgia em si levou nove horas e requereu a complicada e meticulosa reconexão dos vasos sanguíneos e nervos, semelhante ao que é exigido no transplante de rosto.

Apesar dos médicos preverem inicialmente que levaria dois anos para o paciente sul-africano recuperar a plenamente a função peniana, ele já está quase totalmente operacional depois de apenas quatro meses, com médicos prevendo a recuperação total da sensibilidade em mais dois anos.

Apesar dos transplantes de pênis não parecerem um procedimento importante que salva vidas, um dos cirurgiões, Dr. Andre Van der Merwe, disse à BBC, “Qualquer um desses jovens que sofrem amputação peniana são condenados ao ostracismo, estigmatizados e tiram a própria vida. Se você não tem um pênis você está essencialmente morto, se devolvermos um pênis, você pode trazê-los de volta à vida.”

A Sky News diz que a cirurgia também poderia, eventualmente, ajudar caras que perderam o pau por causa do câncer de pênis ou homens com disfunção erétil fisiológica.

Sobretudo, estamos curiosos para saber quem é o doador e se o transplantado prefere o seu pênis novo.