‘Pela Primeira Vez na TV Árabe’ – Ator Omar Sharif Jr. Discute Homossexualidade Abertamente

This post is also available in: Inglês

No que está sendo aclamado como “a primeira vez que muitas pessoas no mundo árabe ouviram algo diretamente de uma pessoa gay”, o ator Egípcio abertamente gay Omar Sharif Jr. deu uma entrevista esta semana no programa árabe Shabab Talk, um programa político orientado aos jovens com mais de quatro milhões de telespectadores semanais. Sharif Jr. apareceu no programa, em partes, para falar sobre o recente falecimento de seu avô, Omar Sharif — um ator melhor conhecido por seus papéis em Lawrence da Arábia, Doutor Jivago e Funny Girl – Uma Garota Genial — assim como seu próximo filme The Secret Scripture em que Sharif e Sharif Jr. ambos aparecem. Sharif Sr. morreu em 10 de julho de 2015, depois de uma longa luta com o mal de Alzheimer.

“Antes de qualquer coisa, aos olhos dos meus avôs, eu era seu neto”, Sharif Jr. disse. “Isso nunca foi um tópico em nossas conversas, e nunca mudou. Nós nunca falamos sobre isso e, para eles, eu era apenas o Omar.” Ele continuou, “Sou um filho, sou um irmão, sou um colega de trabalho, sou um amigo”, ele disse. “Eu não sou um fato, ou uma imagem, ou uma estatística. Eu não sou um debate moral ou ético.” Logo depois, ele deu esse conselho para jovens LGBT lutando com sua aceitação:

“Seja aberto o suficiente para ser quem você é. Não preste atenção às conversas acontecendo ao seu redor. Preste atenção às conversas acontecendo em seu coração e em sua mente, porque essas são as únicas coisas que você pode controlar.”

A entrevista marcou a primeira aparição de Sharif Jr. na TV árabe. Além de atuar, Sharif Jr. também é porta-voz da GLAAD (em português, Aliança Gay e Lésbica Contra a Difamação), um grupo que “trabalha com impressões, anúncios e fontes de notícias online para trazer às pessoas histórias poderosas da comunidade LGBT que constrói o apoio pela igualdade”. Os direitos LGBT no Egito quase não existem. Casamento entre o mesmo sexo e proteções anti-discriminação são uma fantasia no país predominantemente muçulmano, e mesmo não havendo leis explicitamente criminalizando relações homossexuais, homens gays são ocasionalmente presos por prostituição sob uma lei nacional de “libertinagem”, mesmo quando tal prostituição não ocorreu. Em 2013, o Egito teve um número crescente de bares gays e a imprensa de todo o Estado cobriu várias comemorações de 17 de maio, Dia Internacional Contra a Homofobia; mesmo assim, em 2014, oito homens culpados por “indecência” foram sentenciados a cumprir três anos de cadeia por participar de um casamento entre o mesmo sexo (a sentença foi posteriormente reduzida para um ano). Naquele mesmo ano, o apresentador de TV Mona Al Iraki ajudou a orquestrar a invasão de uma sauna local; todos os 26 homens presos durante a invasão foram posteriormente absolvidos.

Comments are closed.