Porque A Acid Betty Vai Provavelmente Se Sair Melhor Que A Kim Chi E Ganhar RuPaul’s Drag Race

This post is also available in: Inglês

Nós amamos tanto RuPaul’s Drag Race que estamos fazendo a cobertura todas as semanas. Mas não vamos entrar no Reddit para descobrir quais queens foram eliminadas antes da hora. Então todas as nossas opiniões e previsões são completamente baseadas nos episódios assistidos e agradecemos que ninguém dê spoiler de eliminações futuras nos comentários — divirtam-se, manas!

Quem assistiu a estreia da temporada de RuPaul’s Drag Race teve uma prévia da batalha de poder entre duas forças competindo pela essência do mundo drag convencional, um conflito melhor personificado pelas duas melhores drags de ontem à noite: a mordaz mas brilhante Acid Betty e a queridinha do pop asiático Kim Chi. Acid é uma criatura vívida (e até aterrorizadora) de sua própria imaginação, Kim encarna a cultura geek dos quadrinhos levada ao limite da vida real. Mas somente uma pode ganhar: aquela que vai dar melhor continuidade à marca RuPaul.

Ambas são bem comerciais, o que é o verdadeiro objetivo de Drag Race, um programa que agora se perpetua na internet através de vídeos intermináveis, GIFs animados e fotos, um programa que escolhe sua vencedora parcialmente pelos tweets com hashtag do público, um programa que produz estrelas que continuam produzindo os seus próprios clipes e webséries e saem em turnês sob a marca Drag Race. A Próxima Drag Superstar dos EUA é uma marca, uma representante comercial, alguém treinada para aparecer em produções multimídia e cultivadas pela própria Mama Ru. Tanto a “onda” drag toda technicolor da Acid Betty quanto a Kim Chi toda barbiezinha tem apelo suficiente para atrair um grande público.

http://bestdrag.tumblr.com/post/138255817200/kim-chi-is-very-versatile-3

http://teamacidbetty.tumblr.com/post/138526430252/acid-betty-rpdr-s8

Ambas terão que atuar fora da sua zona de conforto: a jurada veterana Michelle Visage vai pedir para as duas em algum momento para fazer glam; ambas vão se virar nos mini-desafios de improviso, as dificuldades dos desafios de atuação teatral e um lip-synch (mesmo que seja só no último episódio). Mas no final, somente uma visão de drag vai ganhar.

Na verdade, muito provavelmente vai ser a Betty; as drags que são ácidas ganham (veja a Violet Chachki e Tyra Sanchez) e ela exala uma originalidade irrepressível. A Kim Chi seria bom — ela seria a segunda drag asiática a ganhar (a primeira foi a indonésia-holandesa ganhadora da terceira temporada, Raja) — mas ela parece mais uma versão polida da Trixie Mattel, a drag da última temporada que inspirou sua estética em brinquedos de plástico e videogames; é novo, apresentável e ótimo de se ver, mas no geral não é revolucionário. Se ela não ficar presa ao molde de plástico, ela terá uma chance.

Apesar de ser uma drag do Brooklyn, a estética da Acid Betty tem uma vibe bem distinta meio Burning Man, costa oeste, de cultura às drogas: algo que Drag Race ainda não tinha visto e que poderia fazer com que novos espectadores se aventurem no reino digital da Ru. Para uma ladyboy cujo próprio nome se tornou um império de marca, não poderia ter coisa melhor para a RuPaul. O único deslize em potencial seria se a personalidade ácida da Betty for muito tóxica para a Ru; para ela perder competição só vai depender dela.