Polícia russa confronta ativistas LGBT durante protestos no dia do trabalho

This post is also available in: Inglês Espanhol

Mais de vinte manifestantes foram arrancados das ruas de São Petersburgo por policiais russos e detidos na tarde de primeiro de maio. Os ativistas marcharam em protesto contra o tratamento injusto a gays e bi na Chechênia.

Mesmo a Human Rights WatchAnistia Internacional  tendo denunciado a Chechênia e exigido uma solução para essa injustiça, o governo da Chechênia nega totalmente tais crimes. Isso inclui o presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, apoiado por Moscou, que chegou a afirmar que não há homens gays na Chechênia para perseguir. Funcionários russos tiveram pouco a dizer sobre o assunto, concordando com Kadyrov.

Os manifestantes marcharam carregando bandeiras da Chechênia e LGBT, cobertas de sangue falso. Várias prisões foram feitas em conjunto com os protestos. Fotos da detenção mostram os ativistas amontoados em quartos em condições deploráveis.

Confira a cobertura das prisões e protestos LGBT de primeiro de maio em alguns meios de comunicação em São Petersburgo.

“Um dos participantes detidos no protesto contra assassinato de pessoas LGBT na Chechênia foram levados de ambulância, desmaiados.”

“Presos enquanto protestavam contra o assassinato de pessoas LGBT na Chechênia, sentados um em cima do outro, em um local muito úmido, girando em círculos.”

“No dia do trabalho, em São Petersburgo, eles prenderam manifestantes contra o assassinato de gays na Chechênia.”

“Manifestantes são detidos na celebração do dia do trabalho por estarem com a bandeira gay.”


O que você acha das prisões de LGBT feitas nos protestos de 1º de maio na Rússia? É importante expressar a sua opinião sobre a situação na Chechênia? Deixe-nos saber na seção de comentários abaixo ou no twitter @unicornbooty.