Katita e Dodô: revista com personagens LGBT ganha versão gay e lésbica

Após três publicações lançadas pela editora Marca de Fantasia e um gibi independente, com artes internas em preto e branco, a quadrinista Anita Costa Prado decidiu que era o momento de lançar algo colorido, em formato maior, evidenciando a qualidade artística do desenhista Ronaldo Mendes transforma seus cartuns, charges e HQs em algo admirável.

A artista conta que sempre desejou fazer uma revista flip-flop pois achava interessante sair do comum. E saiu! As pessoas ficam surpresas ao ter em mãos uma revista que se transforma em outra na simples ação de virar para o outro lado: “Também queria que o personagem Dodô tivesse destaque na capa, aparecendo em primeiro plano. A Katita brilha, é adorada por muitos leitores, mas o Dodô ainda não atingiu o mesmo patamar e quero que ele seja mais que um coadjuvante.

“No começo, no que se refere a Katita, percebi que atirei no que vi e acertei no que não vi. Eu retratava de forma bem-humorada a vida de uma jovem lésbica. Imaginei que elas se identificariam, mas a maioria dos leitores interessados eram homens jovens e héteros que iam nas feiras de quadrinhos onde eu participava. Percebi que precisaria expor o material em eventos LGBTs e foi aí que a Katita e o Dodô começaram a ter também esse público, não necessariamente apreciadores de quadrinhos. A revista tem várias sacadas, uma abordagem com reflexão, ironia e malícia, assim o entendimento fica mais claro para as pessoas adultas. O Dodô cativa leitores gays, mas já tive demonstrações de que ele pode crescer e dialogar com um público maior”.

Mesmo com dificuldades por não ter grande tiragem, divulgação ou patrocínio para arcar com custos do desenhista, por exemplo, Anita recebe e-mails como o de uma garota que comentou ter chorado ao ler a revista pois mesmo sendo de humor, tocou em assuntos que a sensibilizaram e de um rapaz, que após ver uma entrevista dela, disse que se foi a imagem ruim que ele tinha das lésbicas. Em outra ocasião, um homem comprou a revista da Katita pois queria dar de presente para uma parente homofóbica. Deduziu que uma revista de quadrinhos mostraria para ela que a diversidade sexual não é algo que mereça reprovação.

Conheça Katita e Dodô

 

A revista está disponível apenas nas livrarias de quadrinhos de São Paulo, na loja Ugra  que entrega também via correios, para quem deseja receber a revista em casa.

 

Facebook– Anita Costa Prado

Contato profissional: anitacostaprado@gmail.com

 

 

Anita Costa Prado é paulistana formada pela Faculdade de Educação Campos Salles. Com o primeiro lançamento em quadrinhos (Katita – Tiras Sem Preconceito) venceu o Prêmio Angelo Agostini em duas categorias : melhor lançamento e melhor roteirista.