Vítima do transfeminicídio é morta a machadadas no Ceará

Atenção: imagens fortes no final desta reportagem

Um crime bárbaro, gravado em vídeo e enviado em grupos de whatapp, sem a menor preocupação de esconder o rosto dos criminosos, está assombrando toda a população LGBT. O movimento trans acredita que a vítima era uma travesti no início de sua transição e que foi executado por 5 garotos como mostrado nos 47 segundos de vídeo que não postaremos nesta matéria.

Em nota oficial, A Polícia Civil do Estado do Ceará informa que (…) “após um trabalho de apuração acerca da origem das imagens, foi constatado que se tratava do homicídio que vitimou Wesley Tiago de Sousa Carvalho (17), no bairro Praia do Futuro – Área Integrada de Segurança 10 (AIS 10), no último dia 30 de dezembro”.

O caso lembra outro assassinato brutal, o de Dandara, que apesar da repercussão segue sem julgamento. O parecer do inquérito policial nega que se trate de crime LGBTfóbico, mas no vídeo ouvimos claramente a vítima sendo chamada de “viadinho”.

A polícia afirmou em primeira nota que se travava de uma briga de gangues. Se sim ou não, isso mostra como a comunidade LGBT está à mercê de tantos casos que são ocultados e por outro lado, pelo alívio de se tratar da “barbárie comum” de “gangues” mostra a degradação social que vive nossa juventude , seja esta juventude cis, hetero, gay ou trans.

Veja imagens: